Simon Basset – Personagens de Bridgerton

Simon Arthur Henry Fitzranulph Basset. Sim, esse é o nome completo do nosso amado 10º Duque de Hastings. Simon nasceu em 1784 no início de abril no Castelo de Clyvedon (Olá, Áries). Sua mãe morreu no parto e seu pai, o nono duque, não demonstrou uma única gota de carinho por seu próprio filho.

Simon era gago quando criança, e isso o fez trabalhar duas vezes mais para superar isso. Essa também foi a causa do comportamento do nono duque: ele pensou que Simon era estúpido.

Continue reading “Simon Basset – Personagens de Bridgerton”

Julia Quinn dá entrevista para a EW e fala sobre possível estreia de Bridgerton

Na terça-feira, 21, a Entertainment Weekly postou uma entrevista com a Julia Quinn em seu site e resolvi elencar alguns pontos principais para aqueles que não entendem inglês. A entrevista completa foi em vídeo e a reportagem está disponível aqui.

Continue reading “Julia Quinn dá entrevista para a EW e fala sobre possível estreia de Bridgerton”

Boxe na Era Regencial: lordes e plebeus no mesmo patamar

Já que Jonathan Bailey nos presenteou com uma foto dele e Rege-Jean Page em cima de um ringue, nada melhor do que um post explicando a importância do boxe no mundo regencial! O núcleo de boxe é novo, criado para a série, mas esse era um esporte muito famoso no começo do século 19 por colocar tanto lordes como plebeus no mesmo patamar.

A atividade física era muito valorizada nesse período e o boxe proporcionava um exercício vigoroso e ainda de lambuja dava uma ótima oportunidade para enfiar a mão na cara dos amiguinhos na esportiva. Quem disse que “1 minuto sem perder a amizade” é algo novo? A gente fica só imaginando se a cena da foto no ringue na Historic Dockyard Chatham é apenas na “broderagem” ou se estão querendo se matar mesmo.

Continue reading “Boxe na Era Regencial: lordes e plebeus no mesmo patamar”

Moda Regencial: as inspirações do figurino de Bridgerton

Não é novidade para ninguém que as roupas eram uma parte importante da vida em sociedade entre a aristocracia britânica (com direito até a uma lei da Era Tudor de que determinados materiais eram proibidos fora da corte). Status social, condições financeiras, background familiar: tudo isso poderia ser passado com um conjunto de roupas, pois, quanto mais fino o material, quanto mais bordado ou cheio de detalhes, mais cara a peça.

E apenas mulheres realmente ricas tinham uma infinidade de vestidos (de passeio, de manhã, bailes, trajes de viagem ou de cavalgada) e acessórios (bonnets, chapéus, turbantes, luvas, peliças, retículas). Apenas os lordes mais refinados usavam casacos feitos sob medida, lenços tão brancos e engomados, botas tão brilhantes que poderiam ser espelho.

Continue reading “Moda Regencial: as inspirações do figurino de Bridgerton”