Qual será a classificação etária de Bridgerton?

Além da data de estreia, outra informação que corrói o fandom de Bridgerton de curiosidade é qual será a classificação indicativa da série. Um tempo atrás, alguns fãs notaram que a informação +13 apareceu na página destinada à Bridgerton no catálago da Netflix e as especulações começaram. Será que teremos as cenas quentes que tantos fãs adoram nos livros?

Nessa semana Nicola Coughlan, que vai interpretar Penelope Featherington, revelou em entrevistas que a série é um drama de época que você preferiria não assistir ao lado de sua avó. “É muito ousado, certamente não é um drama de época para assistir com sua avó. Se você assistir com ela, talvez se esconder atrás de uma almofada seja provavelmente a melhor coisa a fazer.”

Atualmente, a série está sem nenhuma informação a este respeito, mas essas dicas dadas por Nicola Coughlan nas entrevistas desta semana nos levam a crer que Bridgerton terá cenas picantes, sim.

Mas, de qualquer modo, a classificação pode ser em 14 ou 16. Isso porque cada faixa etária têm níveis aceitáveis de sexo, nudez, violência e drogas.

A seguir, confira exatamente o que cada classificação indicativa permite. Colocamos também o que seria mais ou menos o equivalente nos EUA, mas tenha em mente que não é regra, é só uma aproximação.

Menores 12 anos (equivalente ao PG nos EUA)

Cobra Kai tem sua dose necessária de violência, sem ser ofensivo

Séries com essa classificação tem atos violentos, mas que não sejam gráficos. Morte natural ou acidental com violência, presença de sangue, situações degradantes, entre outras. São permitidas cenas com nudez velada, insinuação sexual e masturbação não explicita, palavrões e simulação de sexo. É permitido até apresentar consumo de drogas, medicamentos, menção à drogas ilícitas e discussões sobre legalização.
Séries com essa classificação: Cobra Kai e Anne With an E

Menores de 14 anos (equivalente ao PG+13 nos EUA)

Como não lembrar da cena hilária de todo mundo louco com os cookies da Michelle?

Aqui o nível começa a aumentar. È permitido morte intencional, preconceito, exploração sexual, nudez moderada, erotização, relação sexual e prostituição. É permitido também a insinuação ao consumo de drogas ilícitas, descrições verbais do consumo e tráfico. 
Séries com essa classificação: Mary Shelley, Sherlock e Derry Girls.

Menores de 16 anos (Equivalente ao R nos EUA)

Jamie do Céu

Agora o que era apenas uma insinuação se torna mais explícito, apresentado em cena. Crimes de ódio, suicídio, tortura, mutilação, banalização da violência e até violência gratuita. A nudez total é permitida, bem como cenas intensas e longas de relações sexuais. No quesito drogas, é permitido apresentar produção ou tráfico de qualquer droga ilícita, consumo e indução ao consumo de drogas ilícitas. 
Séries com essa classificação: Lúcifer, Cursed e Outlander

Maiores de 18 (Equivalente ao NC-17 nos EUA) 

Toss a coin to your Witcher ou ele te corta no meio

Para um filme ou série ganhar essa classficação, ela tem que ter coisas muito pesadas, como elogio ou apologia à violência, crueldade, cenas de sexo explicito, situações sexuais complexas, como incesto, fetiches, pornografias, e fazer apologia ou elogio no que diz respeito às drogas.
Séries com essa classificação: The Witcher, Versailles e Peaky Blinders

A gente só quer uns popôzinhos, uns abdomens, a cena do Benedict saindo do lago… e todas as outras

Perceberam como os níveis vão, aos poucos, subindo e mostrando cenas mais explícitas? Bridgerton vai ser picante, teremos o romance e a tensão sexual entre os personagens, mas não acreditamos que será a ponto de ter uma classificação +18. Dá pra apresentar muitas coisas e ter uma classificação 16 ou mesmo 14.

Até porque, quanto mais alta a classificação, menor é o público que pode assistir àquela produção (legalmente), logo, menor a rentabilidade. Sanditon, por exemplo, que é uma série que eu tenho certeza que tem o mesmo feeling de Bridgerton, tem classificação PG-13. E esse gif do Theo James diz tudo que eu preciso dizer.

Esse blog é parceiro da página Julia Quinn Brasil. Curta a página Julia Quinn Brasil no FacebookTwitter e Instagram para não perder nada!

Não se esqueça de curtir a página do Costurando o Verbo no Facebook!

Claudia Jessie – Bridgerton Cast

Depois de um tempo de férias, voltamos com os posts do The Bridgerton Observatory! Confira um trecho do perfil de Claudia Jessie, feito pela Bridgerton Fanpage, e não esqueça de ver também o post original!

 



Vida

Nascida em Moseley, Birmingham (Reino Unido), Claudia cresceu em diversos lugares pela Inglaterra e pela Europa. Aos 14, ela deixa a escola para estudar em casa. Mas aos 17 anos, ela retorna à sua terra natal encorajada pela mãe, que trabalha na limpeza de casas em troca de aulas de balé para Cláudia. O pai dela, quando ainda estava lá, brigou com os oficiais de justiça na porta. “Eu não vim de um lugar financeiramente estável, então ver a recompensa para eles é inacreditável. Isso significa tudo para mim. É a minha conquista de maior orgulho. ”

Ela sofreu crises de pânico e medos extremos desde a infância. “Eu era como a despersonalização, que é o resultado de viver muito com medo e trauma.” Claudia e sua família descobriram que é muito útil praticar o budismo Nichiren, um ramo japonês da religião. Ela medita pelo menos uma hora por dia, geralmente a partir das 4h30. “Ele me apoiou infinitamente”, diz ela. “Quanto mais eu resistia a esses sentimentos, pior me sentia. Quanto mais eu me sentava com eles, meditando, mais facilmente eles passavam. ”

Esta é uma das razões pelas quais ela não usa as redes sociais, nem Twitter, Instagram ou Facebook.

“A mídia social me provoca mais ansiedade, olhar para as imagens de outras pessoas e comentários sobre mim, e tenho uma propensão natural a não ser muito legal comigo mesmo. Isso é comum entre todos nós. Mas o meu parece perigoso. Meu monólogo interior – ela pode ser muito má, ”

Claudia Jessie em entrevista para https://www.belfasttelegraph.co.uk/

Leia o artigo completo no The Bridgerton Observatory!

The Bridgerton Observatory

Wonder who is the person playing Eloise Bridgerton? Find out everything you need to know about Claudia Jessie in this article!

Life

Born in Moseley, Birmingham (United Kingdom), Claudie grows up moving around England and Europe. At 14, she leaves school to be homeschooled. But when she is 17 years old, she returns to her birthplace with the encouragement of her mother, who works on cleaning houses to give ballet lessons to Claudia. Her dad, when he was still there, fights off the bailiffs at the door. “I didn’t come from a financially stable place, so seeing the payoff for them is unbelievable. That means everything to me. It is my proudest achievement.”

She has endured panic attacks and extreme fears since childhood. “I was like depersonalization, which is the result of living long with fear and trauma.” Claudia and her family have found it really helpful practicing Nichiren Buddhism…

View original post mais 427 palavras

Bridgerton: a covid-19 pode impactar a segunda temporada?

Netflix e Shondaland nem anunciaram a data de estreia da primeira, mas nós já estamos pensando na segunda temporada de Bridgerton! Principalmente por que sabemos que a covid-19 vai mudar muito a forma de trabalhar em grandes produções. E Bridgerton, que já mostrou ter uma operação de proporções gigantescas, não vai ser diferente.

O Reino Unido já está afrouxando o bloqueio total instaurado em 23 de março, apesar de especialistas acreditarem que ainda é cedo. Nos últimos meses, foram traçadas diretrizes para o retorno das funções, como as dadas pelo British Film Comission (BFC), a agência nacional de fomento às artes cinematográficas, e pelo Broadcasting, Entertainment, Communications and Theatre Union (BECTU), uma entidade de classe.

O documento do BFC é extenso e entre as orientações está a recomendação que toda produção tenha um departamento de Saúde e Segurança para Covid-19, sendo ele responsável pela verificação de que todos os protocolos estão sendo cumpridos. O número de profissionais desse setor vai depender do tamanho da produção e a área contribuirá no planejamento das gravações para que a segurança seja máxima. O tempo de trabalho contínuo também poderá ser reduzido para evitar a exposição, e isso pode impactar diretamente no números de diárias que a equipe terá para gravar cenas em locações.

Locações

E falando em locações, a primeira temporada de Bridgerton foi gravada nas casas aristocráticas mais fantásticas da Inglaterra. E, se não todas, a maioria das propriedades já são abertas ao público e também terão que fazer adaptações de acordo com as orientações do governo. O guia traz até um fluxograma com perguntas relevantes na hora de escolher uma locação, seja ela interna ou externa.

Claro que nos assusta pensar nessas mudanças, pois isso poderia mudar o resultado final. Entretanto, a TV é uma caixinha de mágicas e nada que enquadramentos certeiros ou outras soluções tecnológicas possam resolver. Com certeza, a equipe de Bridgerton está levando em conta todos os mínimos detalhes para poder entregar o melhor produto final, mantendo a segurança de todos os colaboradores sem perda de qualidade.

Cenas íntimas

Credito: Richard J Young/Somerset Live

Outro ponto importante são as cenas íntimas e de contato pessoal. Apesar de se passar no século 19, quem já leu os livros sabe que beijos roubados e otras cositas más acontecem em bibliotecas, carruagens, etc. Como gravar essas cenas em um momento da história em que a saliva de outra pessoa pode fazer adoecer?

A própria coordenadora de intimidade de Bridgerton pode ajudar a responder. Lizzy Talbot participou da elaboração do documento, que recomenda que as cenas com contato pessoal sejam reduzidas sempre que possível, e que a produção encontre alternativas para cenas gravadas em proximidade. Uma das sugestões do BECTU é que, caso seja impossível retirar cenas do tipo, os atores envolvidos fiquem em isolamento por 14 dias e sejam testados antes da gravação.

Próximos passos

Os rumores da segunda temporada (ainda não confirmada oficialmente) continuam surgindo, com as filmagens provavelmente começando em agosto, como no ano passado. Uma nova era na TV está surgindo, mas com certeza o setor vai encontrar meios para superar todas as adversidades.

E nós, é claro, continuamos na espera da data de estreia!

Esse blog é parceiro da página Julia Quinn Brasil. Curta a página Julia Quinn Brasil no FacebookTwitter e Instagram para não perder nada!

Não se esqueça de curtir a página do Costurando o Verbo no Facebook!

Eloise Bridgerton – Personagens de Bridgerton

Continuando nosso alfabeto, agora é hora de conhecer Eloise melhor. A segunda menina e quinta filha dos Bridgertons, nossa pequena senhorita tem um traço rebelde e não acredita em ser uma debutante frívola e cheia de babados.

Eloise nasceu no início da primavera de 1796. Como todas as outras crianças de Bridgerton, ela adora andar a cavalo e se dedica a esse passatempo na Rotten Row sempre que pode. Outro hobby dela é escrever cartas, se correspondendo com amigos e familiares por toda a Grã-Bretanha. Ah, e ela é imbatível com pistolas, você não gostaria de estar ao lado dela em um concurso de tiro.

Sua abordagem ousada à vida pode chocar alguns, mas é razoável. Ela perdeu alguém muito próximo aos 5 anos, bem na frente dos olhos. Isso certamente faz com que alguém viva a vida ao máximo, não acha?

Afiada, Eloise sabe que está se aproximando da idade de casar, mas não é pedir muito esperar encontrar algo especial.

Jonathan Bailey – Elenco Bridgerton

Mais um post do The Bridgerton Observatory, escrito pela Bridgerton Fanpage, sobre o elenco de Bridgerton! Confira um trecho traduzido e o post original com fotos imperdíveis abaixo:



Vida

Nascido em 25 de abril de 1988 em Wallingford, Inglaterra, Jonathan cresceu com suas três irmãs mais velhas. Em uma entrevista, Jonathan conta como ele tem certeza de que suas irmãs costumavam vesti-lo e forçá-lo a cantar as músicas da banda Sister’s Sledge. Aos 11 anos, ele começou a dançar balé e já sabia o que queria ser quando era mais velho:

Eu tinha uns cinco anos e fui ver o Oliver! Lembro-me de anunciar à minha família algo muito clichê como “eu quero estar lá em cima um dia”.

Eu costumava dizer que queria ser piloto. Costumava ser o meu álibi sempre que meus pais ou professores perguntavam, embora com medo nos olhos, se atuar era uma ideia séria. Talvez eu tivesse tocado mais música e explorado essa rota …

Jonathan em uma entrevista em 2012 para whatsonstage.com

Em 2019, Jonathan e seus colegas do de Company (Bailey recebeu o Olivier Award de Melhor Ator Coadjuvante neste musical) participaram de uma performance especial para arrecadar dinheiro para o Albert Kennedy Trust, uma instituição de caridade para jovens sem-teto LGTBQ que é muito próxima de seu coração, sabendo que Jonathan é gay.

“O alcance do AKT é enorme e eles também têm um esquema de mentoria incrível”, diz Jonathan sobre o bom trabalho que fazem. “Acho que, desde a minha criação, não fui exposto a nenhum modelo na cultura popular ou no meu dia-a-dia, então a ideia de que haja uma conversa segura que possa ser contada por alguém com experiência é realmente importante – porque ainda pode ser um lugar perigoso e incrível de se estar. ”

Veja o post completo:

The Bridgerton Observatory

Who is the person playing our favorite viscount? We are telling everything we know about Jonathan Bailey this week!

Life

Born on the 25th of April in 1988 in Wallingford, England, Jonathan grows up with his three elder sisters. In an interview Jonathan tells us how he is sure that his sisters used to dress him up and force him to sing Sister’s sledge. At 11 he was a ballet dancer. He already knew what he wanted to be when he was older:

I was aged about five and I went to seeOliver!. I remember announcing to my family something very cliched like “I want to be up there one day”.

I used to say that I wanted to be a pilot. It used to be my get out of jail free card whenever my parents or teachers asked, albeit with fear in their eyes, whether acting was…

View original post mais 462 palavras