Jane Austen é romance e muito mais

Ontem me deparei com esse texto – longo, diga-se de passagem – sobre como a obra de Jane Austen foi reduzida a “literatura cor-de-rosa”. Minha primeira reação, antes mesmo de ler, foi de querer bater em quem escreveu. Entra naquele velho clichê de que romance não é livro sério – e francamente, a gente já tem inimigos demais do gênero pra que alguém que gosta de Jane Austen queira pontuar essa distinção de forma pejorativa.

Mas, segui. Continuei lendo. E entendi a reflexão do texto (apesar de continuar detestando a parte que coloca a “literatura cor-de-rosa” como algo ruim, de má qualidade – mesmo que no final a autora se explique melhor). Bom, só esse nome já deveria ser abolido, porque reforça o estereótipo de que é uma coisa de mulherzinha-desmiolada. Continue reading “Jane Austen é romance e muito mais”

Mansfield Park – Austen além de Mr. Darcy

Há algum tempo, resolvi falar sobre os mocinhos de Jane Austen além do famoso Mr. Darcy! É claro que eu acabei não escrevendo muito, só sobre Mr. Knightley, mocinho de Emma. Entretanto, esta semana, sem ideia de que livro ler, acabei baixando Mr. Edmund Bertram’s Diary (O diário de sr. Edmund Bertram, ainda não publicado no Brasil – entretanto a versão de Mr. Darcy já foi traduzida), de Amanda Grange, para ler. Para refrescar a memória, Edmund é o mocinho de Mansfield Park, romance publicado por nossa diva em 1814. Por isso, resolvi voltar com a série Austen além de Mr. Darcy para falar desse que é meu segundo herói favorito da autora (Darcy, obviamente, tem o primeiro lugar).

Continue reading “Mansfield Park – Austen além de Mr. Darcy”