Mansfield Park – Austen além de Mr. Darcy

Há algum tempo, resolvi falar sobre os mocinhos de Jane Austen além do famoso Mr. Darcy! É claro que eu acabei não escrevendo muito, só sobre Mr. Knightley, mocinho de Emma. Entretanto, esta semana, sem ideia de que livro ler, acabei baixando Mr. Edmund Bertram’s Diary (O diário de sr. Edmund Bertram, ainda não publicado no Brasil – entretanto a versão de Mr. Darcy já foi traduzida), de Amanda Grange, para ler. Para refrescar a memória, Edmund é o mocinho de Mansfield Park, romance publicado por nossa diva em 1814. Por isso, resolvi voltar com a série Austen além de Mr. Darcy para falar desse que é meu segundo herói favorito da autora (Darcy, obviamente, tem o primeiro lugar).

tumblr_mjbbb3iTuR1ryw501o2_250Sou um tanto quanto puritana quando se trata de outro autor mexer em obras consagradas, mas preciso engolir minha língua o orgulho, pois Amanda Grange faz um trabalho magnífico! Nos três livros que li até hoje (Darcy, Knightley e agora Edmund) não senti a mão pesada ou a modernidade interferir. Pelo contrário, às vezes é difícil lembrar que foi uma autora contemporânea que escreveu, já que o estilo de Austen é honestamente respeitado.

Sobre o livro original, Mansfield Park, o enredo tem Fanny Price como protagonista, a prima pobrezinha dos Bertram, que vai morar com eles aos 10 anos e está mais assustada do que tudo. Edmund Bertram é praticamente o único habitante de Mansfield a demonstrar carinho e preocupação com ela.

tumblr_mesqcuNVTP1ra97tho7_250.gifE por que ele é demais? Porque, diferente de tantos mocinhos que estamos acostumadas, ele não é um canalha! Na verdade, Edmund escolhe seguir a carreira religiosa e pretende se ordenar pastor. O livro tem uma mensagem bem pronunciada sobre virtude e moral, além de condenar abertamente os vícios e a futilidade.

a9d56420555f61c89fb12e23c875e4ad
Henry Crawford

O contraste é muito pronunciado já no seio familiar, com Tom Bertram, seu irmão mais velho e herdeiro de Mansfield Park, sendo um beberrão mimado que sempre sai com as suas (algo familiar? Tantos romances regenciais tem esse tipo e sua redenção, claro, que eu nem sei contar!). Outro é com Henry Crawford, que chega ao vilarejo para visitar sua irmã, casada com o clérigo da paróquia. Ele é o perfeito canalha, charmoso, flirta com qualquer coisa que use saias e tem um sorriso encantador. Ah, e se veste maravilhosamente bem. E fica encarnado em Fanny também.

Em meio a tudo isso temos Lady Bertram, que vive no mundo da lua, Tia Norris (a mulher mais chata da face da terra literária, me lembra quase a Umbridge), as irmãs Maria e  Julia Bertram, e o próprio Sir Thomas. Não posso esquecer, é claro, de Mary Crawford, irmã de Henry e por quem Edmund fica babando mais da metade do livro (bleh).

mansfield-park-04
Da esquerda para direita: Fanny, Lady Bertram, Mr. Rushworth, Maria Bertram, Julia Bertram, Tia Norris e Edmund

 

O que acho mais interessante é que Fanny é uma observadora ávida, principalmente por sua condição de parente pobre – Tia Norris não a deixa esquecer disso ¬¬. Ela é fiel ao seu coração e sua intuição, e também enfrenta com a cabeça erguida os momentos em que Edmund vem conversar sobre a inconstância de Mary e como ela deveria ser mais como Fanny, que é perfeita e tudo que há de bom. Mas, Edmund, sendo apenas humano, fica dividido entre o que ele vê de Mary e o que ela demonstra ser (na verdade, o que ele queria que ela fosse).

tumblr_nnfesmzMwr1rud800o2_500É lindo ver a transformação de Fanny e até mesmo suas dúvidas (Henry Crawford é mesmo um charme, até eu fiquei dividida a primeira vez que li Mansfield). O livro é tanto sobre romances como sobre descobertas pessoais, como confiar na intuição e nos próprios valores.

Após terminar o diário (já tinha lido Mansfield há algum tempo), fiquei me coçando para assistir ao filme de 1999, que conta com o lindinho Jonny Lee Miller no papel de Edmund. É uma ótima versão, com algumas  diferenças para o livro, é claro. O mais curioso é que o ator que faz o papel de Mr. Rushworth é Hugh Bonneville, o mesmo que interpreta Robert Crawley, o Conde de Grantham, em Downton Abbey. E Jonny Lee Miller, mais velho e mais gato participou de outra adaptação de Jane Austen: ele interpreta Mr. Knightley na nova versão de Emma (Acho que preciso atualizar meu outro post hihihihi).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Existe um outro filme, de 2007, sobre o livro, mas não consegui assistir pois a protagonista é loira. E maior pecado do que fazer uma sequência de livro é fazer um personagem que não tem NADA a ver com o que a autora criou (sim, sou meio chata e peguei birra dessa Fanny de 2007).

giphy (5)
Edmund concorda comigo, não é?

Já conhecia esse mocinho? Para muitos padrões, ele pode ser um puritano chato, mas eu o acho muito charmoso! E você, qual seu personagem favorito de Jane Austen além de Mr. Darcy?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s